A Origem das Espécies

A origem das espécies

As ideias gerais da Teoria da Evolução das Espécies sofreram, aos poucos, alterações e aperfeiçoamentos. Todavia, as teses do evolucionismo subsistem até hoje, e o nome de Darwin ficou ligado a uma das mais notáveis concepções do espírito humano.

 Na base da teoria evolucionista de Darwin está a luta pela vida. Somente os mais fortes e os mais aptos conseguem sobreviver, e a própria natureza se incumbe de proceder a essa seleção natural.

 Fonte: http://www.submarino.com.br/

Biologia, Ciência Única

Biologia, Ciência Única

 

Biologia, ciência única reúne doze ensaios de Ernst Mayr compilados para comemorar seu aniversário de cem anos. Em seus textos, “o Darwin do século XX” reforça a idéia de que a biologia deve ser encarada como uma ciência autônoma, e oferece lampejos sobre a história do pensamento evolucionista, critica as contribuições da filosofia para a ciência da biologia e comenta várias das principais questões correntes na teoria evolutiva. O biólogo também reafirma a validade da teoria da evolução de Darwin e explica que ela é composta de cinco teorias separadas, cada uma com sua própria história, trajetória e impacto.

Um dos responsáveis pela chamada moderna síntese evolucionista, Ernst Mayr fez parte do movimento acadêmico que juntou a teoria da seleção natural de Darwin com a genética e a ecologia, dando origem à teoria da evolução tal como está hoje estabelecida.

 “Este livro é uma declaração de amor à biologia.” – Drauzio Varella

 “Um escritor de extraordinária imaginação e clareza.” – Stephen Jay Gould

 Fonte: http://www.companhiadasletras.com.br

Educação Ambiental: Princípios e Práticas

Educação Ambiental - Princípios e Práticas

O desenvolvimento e a prática da Educação Ambiental no Brasil sempre esbarram em graves problemas socioeconômicos, acrescidos da falta de materiais educativos adequados sobre Educação Ambiental (EA). Este livro reúne as informações básicas conceituais sobre a EA, faz um histórico de suas atividades pelo mundo, sugere mais de cem atividades para sua prática, fornece subsídios para a ampliação dos conhecimentos sobre EA e expõe as diferentes formas legais de ação individual e comunitária que possibilitam um exercício de cidadania, visando uma melhor qualidade de vida. Trata-se de uma obra inovadora pelo seu pioneirismo como documento para estudiosos e leigos, posicionando a EA como instrumento de busca da harmonia racional e responsável entre o homem e o seu meio ambiente.

 Fonte: http://www.editoragaia.com.br

O Homem Duplicado

O Homem Duplicado

 

O professor de história Tertuliano Máximo Afonso descobre, certo dia, que é um homem duplicado. Ao assistir a um vídeo, ele se reconhece em outro corpo, idêntico ao dele próprio: um dos atores do filme é seu sósia.

Os desdobramentos dessa história são imprevisíveis. Mas o novo romance de José Saramago, esclareça-se logo, não tem nada a ver com clonagem ou outras experiências de laboratório. O que está em jogo é a perda de identidade numa sociedade que cultiva a individualidade e, paradoxalmente, estabelece padrões estreitos de conduta e de aparência.

Os romances recentes do escritor português retratam uma época de transformações que, para boa parte da humanidade, resultam mais em perdas que em ganhos. Em Ensaio sobre a cegueira, os personagens perdem a vista, sinal de um tempo em que todos parecem estar cegos. Em A caverna, artesãos perdem o emprego, incapazes de sobreviver à sociedade de consumo.

Em O homem duplicado, José Saramago constrói uma ficção extraordinária, apoiada numa questão extremamente atual e inquietante: a perda de identidade no mundo globalizado.

 Fonte: http://www.companhiadasletras.com.br

O Futuro Roubado

O Futuro Roubado

Estamos apenas começando a compreender as conseqüências da contaminação provocada pelo uso indiscriminado de agrotóxicos e outros agentes. (…) Hoje, relatos nas principais revistas médicas apontam acusadoramente para os efeitos das alterações hormonais provocadas por agentes químicos sobre nossa fertilidade – e sobre os nossos filhos.

Futuro roubado oferece uma descrição realista e fácil de ler sobre a pesquisa científica emergente que investiga de que maneira uma ampla variedade de agentes químicos sintéticos alteram delicados sistemas hormonais. Sistemas estes que têm um papel fundamental, desde o desenvolvimento sexual humano até a formação do comportamento e da inteligência e o funcionamento do sistema imunológico. Estudos com animais e seres humanos relacionam os agentes químicos a inúmeros problemas, como infertilidade e deformações genitais; cânceres desencadeados por hormônios, como o câncer de mama e de próstata; desordens neurológicas em crianças, como hiperatividade e déficit de atenção; e problemas de desenvolvimento e reprodução em animais silvestres.

Futuro roubado é um livro de importância crítica, que nos força a fazer novas perguntas sobre os agentes químicos sintéticos que espalhamos pela Terra. Por nossas filhos e netos, precisamos urgentemente encontrar respostas. Cada um de nós tem o direito de saber e o dever de aprender.

 Texto extraído do prefácio à edição americana de Al Gore para Futuro roubado.

 O prefácio à edição brasileira é do ambientalista José Lutzenberger.

 Fonte: http://www.lpm.com.br/

A Tripla Hélice: Gene, Organismo e Ambiente

A Tripla Hélice

 

O deciframento do código genético realizado pelo Projeto Genoma Humano ganhou as primeiras páginas dos jornais de todo o planeta. Com o mapeamento dos genes, os cientistas se viram em condições de compreender melhor o comportamento biológico do organismo, prever as características que serão herdadas pelos descendentes e desenvolver estudos para evitar doenças como o câncer. O biólogo Richard Lewontin, porém, relativiza a importância do seqüenciamento do DNA e propõe uma nova abordagem para as relações entre organismo e meio. Segundo o autor, um dos cientistas mais destacados da atualidade, os indivíduos não são determinados simplesmente pela interação entre genes e ambiente, mas também por eventos aleatórios que a ciência não é capaz de controlar.

 Lewontin desmonta artifícios retóricos pelos quais a ciência atual se legitima e mostra como a compreensão literal das metáforas do discurso científico pode levar a sérios mal-entendidos. Além disso, nos quatro ensaios aqui reunidos o autor discute metodologias de pesquisa, sugere uma distinção surpreendente entre doença e normalidade – esta, como a condição em que o organismo não é determinado por um caminho causal único – e propõe novas direções para o ensino da biologia, tendo como horizonte um saber fundado em procedimentos mais éticos e condutas mais humanas.

 Fonte: http://www.companhiadasletras.com.br

Glossário de Ciências da Saúde

Glossário de Ciências da Saúde

As Ciências da saúde se constituem de um ramo que se amplia a todo o momento, especialmente se considerarmos os agravos e carências de saneamento e educação diagnosticados em nosso país. Com o intuito de facilitar o entendimento da nomenclatura biomédica, indispensável aos profissionais da área, o Glossário de Ciências da Saúde apresenta milhares de vocábulos que abarcam diferentes temas de saúde pública (anatomia, biologia humana, fisiologia, farmacologia, genética, histologia, medicina geral, microbiologia, patologia, parasitologia, zoologia médica, etc.), além de definições fundamentadas nos mais recentes avanços em biologia molecular e biotecnologia. Também se encontra neste livro termos relacionados à origem das palavras (etimologia) que visam facilitar o entendimento da nomenclatura greco-latina frequentemente adotada nas descrições biomédicas. Portanto, o público-leitor encontrará neste léxico um instrumento didático flexível e adaptável a diferentes consultas, contextos e situações de aprendizagem e pesquisa.

 Fonte: http://www.lcm.com.br

O Senhor das Moscas

o-senhor-das-moscas

O Senhor das Moscas é um título bastante conhecido. Publicado em 1954 deu o prêmio Nobel a Golding em 1983. A história se passa em uma ilha, onde alguns jovens passam a viver depois que a cidade onde viviam foi atingida por uma bomba atômica. Esses jovens são obrigados a criar uma nova civilização e tomar decisões como, por exemplo, quem será o novo líder. Isso só pode acabar em sangue, tragédia, discórdia e terror, né? Foi adaptado para o cinema em 1963 e ganhou um remake em 1990.

Fonte: http://listasliterarias.blogspot.com.br/2012_09_01_archive.html

O maior espetáculo da Terra: As Evidências da Evolução

O maior espetáculo da Terra

“Estamos cercados por infindáveis formas belíssimas e fascinantes, e não é por acidente, e sim uma consequência direta da evolução pela seleção natural não-aleatória – única na vida, o maior espetáculo da Terra.” Não há interpretações alternativas válidas para a existência da vida neste planeta. Richard Dawkins decidiu escrever um livro para defender essa tese e convencer a todos – sem exceção – de que Darwin tem razão. Depois de oito obras que revolucionaram o pensamento evolucionário, ele traz a público o que chama de seu “elo perdido”, ligando todos os seus escritos: uma síntese pessoal das evidências científicas de que a evolução é, mais do que uma teoria, um fato estabelecido.

As evidências da evolução são tão válidas e irrefutáveis quanto, por exemplo, as evidências históricas de que existiu o Império Romano: “Também os seres vivos trazem a história escrita em todo o corpo. São repletos de equivalentes biológicos das estradas, muralhas, monumentos, cacos de cerâmica e até inscrições antigas romanas, tudo esculpido no DNA vivo, pronto para ser decifrado por estudiosos”.

Para Dawkins, a visão da vida pelo prisma da evolução guiada pela seleção natural é grandiosa, sublime, e ele não mede esforços para levar o leitor a compartilhar seu arrebatamento. Nem para fulminar com argumentos inatacáveis e humor sarcástico as ideias dos que tentam defender interpretações sucedâneas – vale dizer, os “criacionistas da Terra Jovem”, para quem os seres vivos foram criados por volta de 10 mil anos atrás, e os proponentes do design  inteligente, que até acreditam que houve evolução, porém graças a um empurrãozinho divino.

Dawkins mostra-se, como sempre, incomparável na arte de traduzir a ciência para não-especialistas. Em sua prosa premiada, a embriologia, o sequenciamento do código genético e o sistema de genes/proteínas que rege a vida ganham clareza e, mais do que isso, fascínio. Suas analogias e metáforas invariavelmente se tornam clássicas. Quem mais pensaria em recorrer à técnica do origami, aos métodos de Sherlock Holmes, a uma sátira do Monty Python e até a um balé aéreo de um bando de estorninhos para elucidar o mecanismo da evolução?

“Se Charles Darwin entrasse numa livraria do século XXI e quisesse saber o que foi feito de sua teoria, este é o livro que ele escolheria.” – Publishers Weekly

“Richard Dawkins é um expoente dos prodígios da ciência, um defensor da razão e do saber científico e inimigo de todo tipo de misticismo.” – The New York Times

 Fonte: http://www.companhiadasletras.com.br